Uma ajudinha criativa, por favor?

Boa noite/dia/tarde/madrugada/okapiadajádeu. Como vão vocês? Faz tempo que não posto por essas bandas, na verdade faz tempo que não posto em lugar algum (lembrar que eu posto também nos Cavaleiros Das Noites Insones, mas só de vez em quanto), é aquela coisa, descobri que produtividade é totalmente diferente de criatividade, mas não foi sobre essa baboseira que eu vim falar aqui.
Continuar lendo

The Big Bang Theory: 1ª temporada. Download!!!

Olá, caros leitores do blog MundoRPG, hoje eu venho aqui para apresentar a vocês que ainda não conhecem a serie The Big Bang Theory, que é muito engraçada (acreditem), a serie gira em torno de um grupo de quatro amigos SUPER nerds e uma vizinha gostosa, Leornad, Sheldon e Penny são os três personagens mais importantes da serie. Bom, vale a pena assistir, e assim eu lhes trago o link para download de todos os Episódios da 1ª temporada (em RMVB, legendado [legenda embutida]).

São 17 Epsódios muito engraçados, bem, mas vamos para o link,não?

Para ver os Episódios disponíveis para Download, clique AQUI

Ta Faltando Dado?

Você tem dado em casa? Não? Então vou te passar algumas dicas de como substituir dados como d4, d8, d10, d12, d20 e etc. Pois as vezes os jogadores não tem acesso a dados multifacetados, ou não querem gastar dinheiro(mãos de vaca).
Então de uma lida nesse post e aprenda a driblar a falta de dados multifacetados em sua mesa.

Para calcular o d8 use 2d6. Um d6 será jogado normalmente,e o outros será o que eu chamo de dado bônus. No dado bônus, o número que cair representará um valor a ser somado ou subtraído do dado normal.
Se cair:
1 – +1 ao dado normal
2 – +2 ao dado normal
3 – não soma nada
4 – não soma nada
5 – -1 ao dado normal
6 – -2 ao dado normal
OBS: O resultado nunca será negativo(dããr).

Você também poderia jogar 2d6 e subtrair 4 do resultado, mas acho isso muito ruim. Ou talvez de no mesmo, não sei(talvez o modo que descrevi seja melhor, ou apenas me dá um efeito psicológico melhor). Mas mesmo assim eu prefiro o modo que descrevi acima.

Para o d10, jogue 2d6 e subtraia 2. Sim, esse não tem importância tirar dois, afinal é pouca coisa.

Para o d12 use 2d6. “AAAH! Mas aí o resultado mínimo vai ser 2!” você pode estar pensando. Sim, então usa-se um dado bônus também. Assim: joga-se 2d6, e depois o dados bônus. Se cair 1, 2 ou 3, o resultado dos 2d6 terá um redutor de -1, se cair 4, 5 ou 6, nada acontecerá ao resultado.

E para d20 use 4d6, e subtraia 4 do resultado.
Para d4, use um d6 e jogue de novo o dado caso caia 5 ou 6.

Mas caso você não tenha nenhum mísero dado, você pode usar cartas de baralho.
Pegue as cartas do Ás(1) até o número desejado, coloque sobre a mesa viradas para baixo, e o jogador puxa uma carta.
E para dados que ultrapassam uma dezena, faça assim. As cartas pretas serão normais, e as vermelhas terão uma dezena somada ao resultado.
Exemplo: para o d12, use do Ás ao 10 preto e mais um Ás(11) e um dois vermelhos(12). E do d20 seria do Ás ao 10 preto os número de 1 a 10, e do Ás ao 10 vermelhor, os número de 11 a 20.

TCHARAM!
Espero que tenha ajudado! 😉

Efeitos Visuais

Efeito visual, como o próprio nome já diz é algo para descrever uma ação(principalmente um combate) visualmente.
Vou usar esse post para dar dicas de como deixar os combates mais emocionantes, heróicos, violentos e tudo mais!
OBS: Um bom post para iniciantes.
1ª Dica – Um ataque em regras não quer dizer que apenas um golpe foi desferido visualmente. Por exemplo: um personagem consegue um crítico e consegue causar um dano absurdo, de 15 PVs! Deixe o jogador fazer deste ataque uma sequência de golpes de espadas terminando com uma super voadora, visualmente. Faça aquele brutamontes jogar os oponentes pra cima e acertá-los com se machado no ar. Use bastante a criatividade na hora de descrever golpes. Mas nenhum desses feitos precisam de testes. Afinal, são visuais.
2ª Dica – Não use termos de regras no meio do fervor do combate. Não diga ao cavaleiro que ele causou 6 de dano. Diga que a estocada de sua espada furou a barriga do oponente, e que ao receber o golpe ele caiu de joelhos enquanto sua barriga sangrava. Depois diga o dano que causou. Não diga; “Você falhou no teste de Rastreio”. Diga: “Você tateou o chão, olhou bem, cheirou, mas achou nada. Você não conseguiu achar nenhum rastro do homem”.

3ª Dica – Quanto as magias, uma Bola de Fogo não precisar ser necessariamente uma bola. Pode ser um jorro de chamas, um dragão de fogo, um meteoro vindo do céu.
4ª Dica – Não isole as regras da imaginação(o visual). O RPG é imaginação e regras trabalhando juntas, e não isoladas. Por exemplo: um ataque corpo-a-corpo será sempre corpo-a-corpo visualmente. Não faça um ataque corporal em regras, ser um tiro visualmente. Não deixe sua Bola de Fogo ser uma estaca de gelo, e por aí vai. Crie, mas não distorça!
Espero que tenham gostado! 😉

Tipos de Mestre- Ou você acha que todo Mestre é igual ?

Bom dia caros leitores do blog MundoRPG. Hoje estou aqui para demonstrar algum conhecimento que eu tenho sobre os diferentes tipos de Mestre de RPG que existem nas mesas espalhadas pelo mundo.

primeiramente quero dizer que não tenho tanta experiência assim com RPG, jogo a seis anos, mas nesse tempo eu vi que existem três tipos de Mestre de Jogo espalhado por ai, e os irei domostrar nesses post. Espero que gostem.

1º Tipo: O que joga contra os jogadores: Esse tipo de Mestre, também conhecido por “morreutudim” ou “o apelão”, para algumas mesas é o mais chato, ele sempre está tentando matar os personagens dos jogadores, e faz isso das maneiras mais absurdas e idiotas que existem (“vocês estão na metrópole do reino, quando passam por uma estátua gigante ela pisa em vocês. morreu tudim”), ele não sabe perder. As suas aventuras sempre terão algo para que os personagens morram sem defesa, eles sempre vai manipular as regras para que os inimigos sejam favorecidos em combate, sempre vai mudar o resultado dos dados para que os jogadores não acertem aquele mostro tão fraco que um sopro o derrubaria, se bem que esse tipo de Mestre não coloca monstros fracos em suas aventuras, não mesmo. O que me consola é que esse tipo de Mestre não fica mestrando por muito tempo, rapidamente os jogadores vão tirar ele do cargo de Mestre, ou abandonar ele e ir jogar com outro mestre em outro lugar bem longe dele.

2º Tipo: O que joga a favor dos jogadores: Também conhecido como “o bonzinho”, esse tipo de Mestre pode parecer legal quando você tem personagens fracos e/ou está jogando pela primeira vez, mas depois de um tempo ele vai ser tão chato quanto o “o apelão”, afinal quando você tem um personagem forte, perde a graça vitorias fáceis. Ele sempre vai criar aventuras para que os personagens vençam de forma fácil, ele sempre vai manipular os dados para que você acerta um dragão venerável mesmo tirando um resultado quase mínimo, ele sempre manipula as regras para que os personagens derrotem seus inimigos. Diferente do primeiro tipo, “o bonzinho” parece gostar de perder. Esse Mestre também não mantém seus cargo por muito tempo, embora dure bem mais tempo que o cargo d'”o apelão”, mas ele dificilmente é abandonado pelo seu grupo, eles deixam ele jogar, desde que ele não Mestre.

3º Tipo: O neutro (“sou apenas um contador de historias”): Também conhecido como “contador de historias”. Esse tipo de Mestre parece ser o tipo ideal para qualquer jogador, ele não quer saber se os personagens vão ganhar ou perder, ele apenas está lá contando a historia, ele pensa “a culpa não é minha se o personagem resolveu ir mexer com aquele ogro que não tava nem ai para ele, ele morreu por própria culpa”. As suas aventuras não vão favorecer ou prejudicar os jogadores, elas vão dar dificuldade para serem vencidas, mas não serão tão difíceis a ponto de que nem o personagem mais forte do grupo consiga vencer, ele nunca vai alterar o resultado dos dados, nunca mesmo (“o resultado do dado é sagrado e não deve ser alterado”), ele só vai manipular as regras se for extremamente preciso e da maneira mais justa possível, nada de favorecer os jogadores ou os NPCs. Esse tipo de Mestre costuma durar muito tempo, muitas vezes ele pode mestrar por anos e anos sem que os jogadores reclamem dele.

Eu sei que existem muitos outros tipos de Mestre por ai, então se vocês conhecem algum outro tipo, mande por comentário. Até à próxima.

Crie um Blog de RPG, não é dificil.

FONTE: Roleplayer

Você também pode ter um!

Pode ser que você seja um daqueles caras que não se importe nem um pouco com o que acontece ou deixa de acontecer na internet. Tudo bem, a grande maioria das pessoas não se importa. Entretanto, você ao contrário pode possuir o desejo irrefreável de se fazer ler através da internet, ou, no mínimo, divulgar as coisas que rolam em sua campanha de jogo. Se até pouco tempo atrás estávamos inteiramente nas mãos dos portais, hoje há uma galera que trabalha em prol dos pobres rpgistas ociosos que precisam de doses macissas de entretenimento diário. São os blogueiros de RPG. E sabe o que é bacana? Você pode ser um deles!

Sério! Você pode mesmo. Não precisa ficar tão surpreso não.

Apesar de ser notória a vantagem de quem publica matérias atuais como notícias do mercado grigo, novidades sobre publicações nacionais ou que, ao menos, mandem uma nova notícia todo dia, isso não é uma regra, tampouco realmente necessário para se ter um bom blog de RPG. Ess e tipo de atividade mais comprometida com a guerrilha urbana por visitas diárias requer um tempo considerável diante do computador . Porém, há muito espaço para um sites de jogo que ainda que não bombem em visitas, primem por sua qualidade. Ainda é raro, por exemplo, sites com Diários de Campanha ou séries de textos detalhando mundos de jogo. São coisas legais que não necessitam de tanta dedicação assim e que as vezes ficam eclipsadas na blogosfera ultra-power que nós estamos criando.

Nós do Inominattus, por exemplo, meio que atiramos pra todo lado. Mas trazer uma notícia nova todos os dias é fácil para uma equipe grande como a nossa (apesar da maioria dos textos serem enviados por mim, eles são escritos por várias pessoas, como podem notar nos agradecimentos e notas nas matérias). Para começar, nenhum efeito pirotécnico é realmente necessário. Nem mesmo o tão famigerado domínio .com (ou .com.br) que necessita de grana pra ser mantido faz de você um bom blogueiro. Para se ter um exemplo, os blogs do Valberto e do Nitro apesar de utilizarem um domínio gratuito (o WordPress) tem praticamente o mesmo número de visitantes que nós, e conseguiram isso em bem menos tempo. Isso sem falar do blog do Trevisan, que mesmo no Blogger dá uma surra em muito .com.

Mas então, qual é o caminho das pedras?

Criando um Blog de RPG em Alguns Passos Simples

brazilian-black-piranha-norO primeiro passo é conseguir um lugar pra hospedar sua página. Os dois sites mais usados são mesmo o wordpress ou o blogger. Se você possui uma conta Gmail no Google, ou sendo ainda mais simplista, se você tiver um orkut já está préviamente cadastrado no blogger. Basta entrar no site e ser feliz. Para um nível mediano de noobice, o Blogger é mais simples de ser trabalhado. Além disso, ele é menos restrito do que o WordPress gratuíto no que diz respeito a customização de layout. Já o WordPress possui uma plataforma mais próxima da que você irá usar se um dia migrar para um .com. 90% dos blogs de RPG que estão entre os mais acessados do país são administrados pelo wordpress. Cabe a você escolher. Muitos de nós usam também o Multiply, que é uma mistura de blog com fotolog e orkut onde você pode compartilhar desde fotos e vídeos até receitas de bolo (!). O único grande problema do Multiply é que nele seu blog será invisível para a Alexa, A Piranha. O mais usado contador de acessos e estatisticas globais da Internet.

Como exemplo, eu irei trabalhar com a idéia do Blogger. Uma vez cadastrado e efetuado o loging, você precisa escolher um nome para seu blog. Evite coisas complicadas demais e capriche na escolha. Vai ser através do nome do seu blog que seus leitores irão encontrá-lo na internet. Apesar de ser um saco essa parte pois a maioria dos bons nomes já foram usadas, vale a pena persistir um pouquinho antes de seguir em frente. Cuidado com erros de digitação (argh), cacófatos (sabe aquelas duas palavrinhas que juntas foram outra? Por ai) ou letras repetidas. Tudo isso dificulta seus visitantes na hora de digitar sua url.

Após escolher o nome do blog, você passa ao ajuste fino dele. No Blogger existem vários templates para você escolher, mas a maioria é horrível demais da conta, sô. Escolha qualquer um, nós vamos mudar isso mesmo. Não faça nenhum outro ajuste ainda, pois você irá perder todos eles de qualquer maneira. Depois de instalado seu blog, está na hora de melhorar o visual dele. Uma dica fácil é acessar esse site com vários templates muito legais e de graça. Ele faz com o teu Blogspot o que os sites com domínios fazem com o wordpress. Veja como ficou um blog que fiz apenas para ilustrar o resultado final nessa matéria. Bacaninha hein?

Agora que você já tem um blog, falta conseguir leitores. Há duas maneiras fáceis de se conseguir isso atualmente. São os Agregadores de Conteúdo. Sites que juntam links que provém de toda a blogosfera num único domínio, que é acessado por um número cada vez maior de usuários. O Rpg.Blog e a Lista Lúdica. Entre em contato com os administradores de ambas as listas e inscreva seu blog ali. Sempre que você atualizar, você tem uma chance de “pescar” algum leitor dos grandes blogs para o seu. E quem sabe, se o material tiver qualidade, fidelizar o danado do leitor.

A partir daqui, a coisa vai depender de você. Um site de campanha deveria, via de regra, ser atualizado no mínimo sempre que vocês jogarem. Uma vez por semana seria o ideal, mas um numero maior de postagens pode lhe trazer um maior número de visitas. Se você caprichar nesse único post, entretanto, é bem provável que não será necessário mais nada para conseguir uma boa quantidade de acessos. Outras duas dicas muito boas são: não fique aloprado com visitas. Faça seu trampo por diversão e não por status. E “um bom blog não é feito de quantitade, mas sim por qualidade”.

São dicas simples que podem te ajudar nesse começo de jornada. Os louros você irá colher com o tempo. E agora que você já é um blogueiro, pode se unir a nós na lista de Discussão dos Blogs e fazer algumas amizades por lá também.

O que? O que aquele macaco no começo da matéria tem haver com o resto do texto? Poutz, é um macaco oras! Ele não precisa fazer sentido pra ser legal (cá entre nós, seu blog também não)!